Fruticultura de Clima Temperado como alternativa de diversificação econômica

Videiras em sistema de cordão único - Paulo Norberto
Cultivo de Uva Niágara Rosada – Foto Paulo Norberto

(Belo Horizonte, 30/7/2019) A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) desenvolve ações para a inserção da fruticultura de clima temperado como alternativa de renda e geração de emprego para a agricultura familiar, no Campo das Vertentes. Desde 2008, foram implantadas Unidades Demonstrativas (UD’s) de figo e uva Niágara em 31 propriedades de nove municípios da região.

As Unidades Demonstrativas têm o objetivo de facilitar o contato do produtor com as tecnologias difundidas e os resultados gerados. “Com essas unidades, que são instaladas em propriedades particulares, nós podemos chegar a um número maior de produtores. Por ser turística, a região é bastante propícia para o aproveitamento das frutas in natura e também para a produção de doces”, avalia o pesquisador Ângelo Albérico de Alvarenga.

O modelo colaborativo envolve a participação da Emater-MG, empresa que, assim como a EPAMIG, é vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Dessa forma, os pesquisadores da EPAMIG se responsabilizam pela implantação e acompanhamento das áreas de cultivo e os extensionistas da Emater/MG prestam assistência técnica aos produtores da região. Já os donos das propriedades que recebem as Unidades Demonstrativas se tornam multiplicadores e ganham uma nova alternativa de renda. “Na medida que essas áreas se estabelecem, nós fazemos dias de campo, demonstrações práticas de cultivo, adubação, poda e dicas técnicas”, explica o engenheiro agrônomo e doutor em Fitotecnia, Paulo Norberto, que atua na EPAMIG em São João del Rei.

Na opinião dos pesquisadores ressaltam esse trabalho ajuda na estruturação da cadeia produtiva e promove novas interações entre produtores e possíveis consumidores dessas frutas. “A proposta é eliminarmos os gargalos no contato entre o produtor e consumidor final e, assim garantir o sucesso do negócio”, aponta Ângelo. “As micro indústrias da mesorregião do Campo das Vertentes careciam de matéria prima para a produção de doces, uma vez que não havia produção comercial de frutas na região. Hoje, há a opção de venda in natura, em feiras, mercados, na Ceasa, e, também a produção de doces”, completa Paulo.

UD Figo - Paulo Norberto
Unidade Demonstrativa de Figo – Foto: Paulo Norberto

O produtor Antônio Oliveira colheu neste ano as primeiras uvas produzidas na Unidade Demonstrativa instalada na propriedade dele em Ibertioga (MG). “Eu tenho 200 pés de uva e o que colhi, vendi aqui na cidade mesmo. Já me animei e pretendo aumentar a área plantada”, comemora.

As Unidades Demonstrativas de Frutas na Região Campo das Vertentes são o tema do Programa Prosa Rural da Embrapa nesta semana confira.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s