Dia de Campo apresenta tecnologias para o meio ambiente

DSC_0079

(Patos de Minas, 07.12.17) O Dia de Campo Tecnologias para o Meio Ambiente foi realizado na quinta-feira (07) no Campo Experimental Sertãozinho da EPAMIG, em Patos de Minas.

Estudantes, pesquisadores e profissionais participaram de três estações com palestras sobre preservação ambiental, técnicas e tecnologias praticadas no Alto Paranaíba. O público também participou do plantio de 300 mudas de árvores, das mais de duas mil, que serão plantadas para a recuperação das nascentes de água da região.

O pesquisador da EPAMIG e professor do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam), Maurício Coelho, ministrou a palestra Conservação de Solos.  “Temos observado, nos últimos anos, que as nascentes estão diminuindo a sua vazão ou secando. Isso é reflexo da ação do homem que está retirando a vegetação nas proximidades das mesmas, o que reduz a permeabilidade do solo e, consequentemente, diminui a infiltração de água para recarga dos mananciais. Podemos reverter esse processo adotando técnicas que visem aumentar a infiltração de água no solo e aumentar o teor de matéria orgânica e a atividade biológica do solo”, afirma o pesquisador. Coelho apresentou algumas técnicas para solucionar o problema da escassez hídrica como: terraceamento, construção de bolsões para captação de águas das chuvas nas estradas rurais,  adoção do sistema de plantio direto na palha,  rotação de culturas, adubação verde.

DSC_0052

O engenheiro agrônomo Cássio Coury Caixeta e o técnico em agropecuária Junior Tavares Machado fizeram a palestra Mapeamento Aéreo utilizando Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT/Drone). Segundo Caixeta, o drone se tornou uma poderosa tecnologia para o mapeamento aéreo em projetos de engenharia. “Realizamos no entorno da represa da EPAMIG, um mapeamento aéreo e demonstramos como esta tecnologia pode contribuir para a preservação do meio ambiente, a partir do monitoramento dos recursos hídricos e Áreas de Preservação Permanente (APPs)”, informa.

O coordenador de conservação e recuperação de ecossistemas do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Irineu Vieira Caixeta, abordou o tema Recomposição da Vegetação Ciliar e Plantio de Mudas de Árvores no Entorno da Represa, conforme Condicionante Ambiental. De acordo com ele, é fundamental verificar alguns aspectos para fazer o plantio de recuperação de mata ciliar como: escolha da espécie, espaçamento, profundidade do lençol freático, período para o plantio, tratos culturais, isolamento com adubação ou matéria orgânica e controle de formigas e queimadas. Ele também coordenou o plantio de centenas de mudas no local.

A produtora rural Constância de Carvalho Coelho, que há um ano fez a recuperação de uma nascente na sua propriedade de 340 hectares destaca “os fazendeiros precisam compreender a importância deste trabalho, pois sem água não há como produzir nada, não há alimento”.  Ela conta que a nascente estava assoreada e praticamente sem água, por ter sido pisoteada pelo gado. Um engenheiro do IEF foi ao local, fez o projeto para cercar a área e fazer o plantio das árvores. “Este foi um ano de poucas chuvas, mas percebemos que a nascente demorou mais tempo para secar em relação aos anos anteriores”, avalia. Agora, no período das chuvas, a produtora fará o plantio de novas mudas para substituírem as que morreram.

O Dia de Campo Tecnologias para o Meio Ambiente foi realizado por meio da parceria entre EPAMIG, IEF, Unipam e Precisa Geoplanejamentos, Projetos e Consultoria.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s