Crianças soltam 30 mil alevinos no rio Pomba

Murilo - crianças Dona Eusébia
Crianças de de Dona Euzébia (MG) participaram da soltura de 30 mil alevinos da espécie curimba no rio Pomba. Foto: Ana Cristina Ajub

(Dona Euzébia, 13.05.2016) – O dia ontem, 12, foi especial para 70 crianças das escolas municipais Tertuliano Dias Moreira e Francisco Ribeiro dos Santos, de Dona Euzébia (MG). Elas participaram da soltura de 30 mil alevinos da espécie curimba (Prochilodus lineatus) no rio Pomba, uma iniciativa para repovoar os rios da Bacia do Paraíba do Sul. O peixamento foi organizado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) que produziu os alevinos no Campo Experimental de Leopoldina, referência em piscicultura na região da Zona da Mata.

O peixamento foi realizado para minimizar a redução dos estoques de espécies nativas e dar mais garantia às populações ribeirinhas e aos pescadores de que haverá peixe no futuro, explicou o pesquisador da EPAMIG, Alexmiliano Vogel de Oliveira. Essas informações e a importância da preservação dos rios foram apresentadas em palestra para as crianças, que ganharam lanche e um kit com material escolar oferecido pelo Grupo Brookfield, que mantém usinas hidrelétricas na região, cujo convênio com a EPAMIG possibilitou o peixamento.

A empolgação das crianças em participar de uma ação de preservação do meio ambiente contagiou os funcionários da EPAMIG, os representantes do Grupo Brookfield e até os policiais militares do Meio Ambiente, que apoiaram o peixamento. Segundo o tenente André Barbosa, comandante do 5º Pelotão de Cataguases, a educação ambiental começa desde cedo e as crianças podem aprender ainda mais com atividades práticas. A aluna Júlia Ribeiro Pinto Benevenute, 10 anos, concorda. “Temos que cuidar para que não pesquem antes da hora e nem usem redes. Os peixes precisam crescer e encher todo o rio”, alertou, ao lado do colega Murilo Ribeiro, também de 10 anos. “A natureza ajuda a todos e também temos que ajudá-la”.

Para o transporte até Dona Euzébia, os alevinos foram preparados em tanques especiais ainda no Campo Experimental de Leopoldina, onde a EPAMIG detém tecnologia e infraestrutura para reprodução de espécies nativas da bacia do rio Paraíba do Sul. Novos projetos de pesquisa já foram submetidos aos órgãos financiadores que também contemplam peixamentos nos rios da bacia do rio Doce, como forma de minimizar os impactos causados pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco, em Mariana. “A EPAMIG estuda reestruturar o setor de piscicultura para produção de espécies nativas do rio Doce, visando a atender essa demanda emergencial e tão importante para Minas Gerais”, explica o pesquisador Alexmiliano de Oliveira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s